quarta-feira, 8 de junho de 2011

Brasil desaponta na despedida do fenômeno

A seleção brasileira entrou em campo na noite de ontem para se despedir do maior artilheiro das copas. Com 97 jogos e 62 gols, o fenômeno entra para a história da seleção.

Mas a seleção só jogou enquanto a festa durou. No primeiro tempo, o Brasil além de abrir o placar com o gol de Fred, ainda teve duas chances com Neymar, uma com Robinho e três com Ronaldo.

Após a festa no intervalo, o Brasil voltou parecendo outro time e mais uma vez a apatia da equipe irritou a torcida que cansou de ver o festival de passes errados.

Novamente a equipe mostrava falta de criatividade na armação e um distanciamento absurdo do meio campo com o ataque.

E parece que Mano Menezes não percebe isso, afinal só foi colocar o Thiago Neves, que merecia ser titular do time, aos 30 minutos do segundo tempo.

O placar não se mexeu e a seleção saiu mais uma vez vaiada pela torcida. O time de Mano continua em dívida e começa a ser questionado as vésperas da Copa América.

Ainda no vestiário, foram definidos os 22 jogadores que irão atuar na competição sul-americana. São eles: Júlio César e Victor; Daniel Alves e Maicon; Lúcio, Thiago Silva, David Luiz, Luisão; André Santos e Adriano; Lucas Leiva, Sandro, Ramires, Elano, Elias, Paulo Henrique Ganso, e Jadson; Alexandre Pato, Robinho, Neymar, Fred e Lucas.

Fiquei desapontado com a dispensa do já citado Thiago Neves e a manutenção do nada mais que regular Jadson.

Enfim, a noite de ontem entra para a história do futebol brasileiro. E é graças a Ronaldo que a péssima atuação da seleção será esquecida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário