terça-feira, 5 de julho de 2011

Concentração da seleção se transforma em rodada de negócios

De acordo com o site de notícias IG, o presidente do Barcelona, Sandro Rosell, visitou a delegação brasileira no hotel no qual a equipe ficou hospedada no fim de semana e acompanhou a equipe até o estádio de La Plata, onde o Brasil empatou sem gols com a Venezuela.

Este tipo de situação mostra como funcionam as coisas nos bastidores da seleção. A postura de Dunga, que era radicalmente contrária a transformar a concentração em rodadas de negócios, incomodava muito o presidente Ricardo Teixeira que encontrou em Mano Menezes o mediador perfeito para esta prática.

Segundo o jornal espanhol AS, o mandatário do time catalão foi observar Thiago Silva e André Santos.

Obs.: Ambos atletas agenciados pelos “manos” do Mano.

Não é de hoje que o técnico tem facilitado este tipo de situação, em um amistoso em Londres, a CBF já havia promovido encontros entre jogadores e agentes, e até o técnico Mano Menezes participou de algumas conversas.

O mais intrigante é saber que de acordo com Mano Menezes o lateral Marcelo, do Real Madrid, ficou de fora da Copa América por falta de comprometimento com a seleção.

Será que permitir que empresários aliciem jogadores durante a concentração é estar comprometido com a seleção?

Não é a toa que a seleção vem decepcionando tanto desde que o técnico assumiu. Afinal, este tem preocupações maiores do que tornar a seleção com Neymar, Ganso, Pato e Lucas competitiva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário